sábado, 2 de janeiro de 2010

Submissão



Submissão é acatar. Acatar é aceitar; é não dizer o que nos vai na alma; é não chamar os bois pelos nomes; é ter medo da verdade; é aceitar o fundamentalismo sem coragem para dizer Não; é perder. E não podemos perder a nossa dignidade, nem a nossa cultura,nem os nossos valores, porque de derrota em derrota , de submissão em submissão o nosso destino fica traçado. E não queremos voltar atrás no tempo, porque o tempo nunca volta para trás. Nunca.

Esta pintura em tela é um daqueles idílicos lugares que apenas existem na nossa imaginação. Felizmente que a arte permite deambular ao sabor do pensamento sem receios de submissão. Aqui procurei construir um cenário do maravilhoso numa perspectiva distorcida e tudo aconteceu após ter visualizado espelhos disformes. A arte e as experiências da vida são uma constante no meu trabalho. História da Minha Pintura.

Hoje recordo uma frase de Sófocles:
“Escravo do corpo, livre do espírito.”

E vos deixo com a música de Vivaldi e a voz de Jaroussky cantando “Sol da te” da ária “Orlando furioso”.


1 comentário:

  1. Há tanto tempo que não ouvia esta ária.
    Lindo.
    Obrigado.
    Luísa

    ResponderEliminar