terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Novos Amigos

 
video
 
 
 
Durante muitos anos o meu mundo foi rodeado por colegas de um ofício. Agora são outras pessoas. De uma órbita diferente; de um ver e estar no mundo muito distante: ora na miragem, ora na fantasia, ora no saber estar. Nem melhores, nem piores. Diferentes. Mais comungantes comigo. Aparentemente. E gosto mais. Talvez porque a realidade é o que construímos dentro dos nossos desejos. O resto é mais do mesmo: os dias sucedem-se e com eles o esvaziar dos sonhos, e a construção de outros olhares e outros sentimentos.
 
 
 
Não sei controlar o tempo. As horas passam num ápice. Eu bem quero fazer mais e mais, mas falta-me a consistência e a capacidade para erguer novos mundos ao mundo. Eu bem gostaria, mas não chego lá. Os caminhos são íngremes, impróprios para o meu caminhar, todavia não sou de parar, nem de dizer basta, vou por aí, mesmo sabendo o que me espera. Sei que vou encontrar algures gente boa. E isso me basta.
 
 
 
 
E nas andanças vou achando entre o bom e o mau, momentos maravilhosos e visionamentos encantatórios. Hoje mostro quanto é belo um espaço de criação artística: o ateliê do escultor Francisco Simões.
 
 
 
Termino com as palavras do escritor e jornalista francês, do século XIX, Alphonse Karr que um dia escreveu:
 
 
"Cada homem tem três personalidades: a que exibe, a que tem e a que pensa que tem."


Sem comentários:

Enviar um comentário