segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Para memória futura

 
 
 
video
 
 
 
Exposição "À descoberta do nu" patente na Galeria Atrás das Artes, em Torres Novas
 

 
 
 
 
 
 
Quando as palavras não chegam, resta-me o silêncio.
 
Das histórias para contar ficam as memórias do que apraz repartir. Apenas momentos que o tempo apaga mas saborosamente vividos em instantes. Há outros contares que a pintura revela e que um dia talvez sejam traduzidos nas palavras certas. Por agora remeto-me à paixão da pintura, mesmo sabendo quão longe estou dos desejos que um dia acreditei alcançar.
 
 
 
 
E recordo hoje as palavras do escritor, poeta, dramaturgo e ensaísta Oscar Wilde, que um dia escreveu:
 
“Se soubéssemos quantas e quantas vezes as nossas palavras são mal interpretadas, haveria muito mais silêncio neste mundo.”


Sem comentários:

Enviar um comentário